sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Este dá pano para mangas…

“We thought we knew all there was to know about princesses; we thought they were practically part of the family, that nothing about them could surprise us any more. And then along come Rébecca Dautremer and Philippe Lechermeier with their poetry and their irreverence. They open up the floodgates of their imagination and we find ourselves face-to-face with a whole series of princesses, each one more batty than the next. But in these princesses the readers, big or small, can glimpse of trace of themselves. (…)The drawings, with their light, gentle touch, are full of comic detail and dovetail perfectly with Lechermeier’s lilting text.” French Book News








“Em Princesas, encontramos a Cinderela e outras celebridades mas, sobretudo, descobrimos princesas desconhecidas, princesas injustamente esquecidas. E não é tudo.

Em Princesas, há histórias, anedotas, segredos e retratos. Há coisas que fazem rir, outras que assustam, e algumas que fazem sonhar. E não é tudo. Em Princesas, não há só princesas. Há também cofres, sombrinhas e beijos. Há jardins, um príncipe e borboletas negras. Um planisfério e mistérios. Há amor. Como sempre. Mas não há só isso.

Princesas fala das princesas como nunca ninguém o fez, mostra-as como nunca ninguém as viu. Mas isto não é tudo… “ (texto do editor)






Um livro para meninas que querem ser princesas mas pensam que não são tão etereamente perfeitas como as personagens da histórias… aqui está uma verdadeira enciclopédia sobre cabecinhas coroadas com diademas, com fraquezas, franquezas, qualidades, vestidos perfeitos, defeitos e feitios muito humanos, que as aproximam de nós, as tornam mais falíveis mas também infinitamente mais atraentes. Sobretudo, pela ironia subjacente ao texto, são muito mais divertidas e risíveis.


Não me lembro de folhear um livro em que a relação escritor-ilustrador fosse tão íntima e articulada. Os retratos das várias princesas, da autoria de Rébecca Dautremer são grandes, singulares, de cores fortes e cheios de pormenor. O texto de Philippe Lechermeier marca-nos pela originalidade, pela criatividade e pelo humor que se estende pelo texto. Não se pode aqui falar de história mas de pequenos textos descritivos que apresentam as várias infantas. Mas nem por isso se dilui o apelo da leitura!




Também não esperem conseguir demarcar a clara fronteira onde acaba um texto e começa a respectiva ilustração. Esta linha não existe… texto e ilustração formam um único tecido textual que sugere um rico tecido bordado vindo do mundo das “Mil e Uma Noites”, com o brilho de pedras preciosas, brocados e véus esvoaçantes que deixam entrever panos e panos de imaginação para costurar novos contos…agora dei para as metáforas de alta costura!


Sublinho que, este livro, embora de enorme beleza e originalidade, poderá apresentar alguns obstáculos à leitura solitária por parte de leitores principiantes (pelo que aconselho a leitura acompanhada). O carácter humorístico e irónico do texto assim como o uso de algum vocabulário menos acessível pode dificultar a interpretação dos mais novos. Acrescenta-se o facto de coexistirem diferentes tipos e tamanhos de letra.




No entanto, conquista os jovens leitores pela riqueza dos pormenores… em cada página há uma surpresa… há um mapa para explorar e brasões para escolher…inúmeras entradas que remetem para outras páginas, provocando inúmeros saltos curiosos e divertidos…


Compreendo que apontem a ausência de um enredo, o facto de se tratar apenas de uma compilação de observações e de desenhos sobre princesas. Acrescento que contém palavras difíceis e expressões obscuras para quem ainda não aprendeu o seu uso idiomático, como é o caso da criança leitora entre os 6 e os 11 anos. Mas terei de realçar então dois aspectos a favor deste livro:


- abre as portas para um novo mundo de possibilidades imaginativas a partir do já amplamente experimentado universo perfeito das princesas dos contos de fadas;


- proporciona-me a deliciosa experiência de ver a minha princesinha, a minha filha de sete anos, de olhinhos brilhantes e fantasia a 1000Km/h, empolgada com o prazer da descoberta e da leitura. Um prazer que partilhamos e por isso dobrado.

2 comentários:

K. disse...

Encontrei seu blog ao procurar pela net por inspiraçao para ilustraçoes de livro infantil, pois estou prestes a começar a rabiscar, e ainda nao tenho muito conhecimento ou experiencia. Foi como achar um tesouro que me encheu os olhos. Perfeito.

Ana Tarouca disse...

K.,
Fico muito contente e agradecida com as suas palavras. Votos de bons rabiscos. Fazer ilustração para livros infantis é uma arte exigente mas deliciosa.
Beijos
Ana T.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin