segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Tiana, uma nova Princesa Disney

The Walt Disney Co. has started production on an animated musical fairy tale called “The Princess and the Frog ,” which will be set in New Orleans and feature the Walt Disney Studio’s first black princess, Tiana, who joins eight other Disney princess characters.
The film, set for release in December 2009, also is the first hand-drawn film Disney has committed to since pledging last month to return to the traditional animation that made it a worldwide brand.
Disney aggregated the eight characters (Snow White, Cinderella, Aurora, Ariel, Belle, Jasmine, Mulan and Pocahontas) in 1999 under the banner Disney Princesses and has rolled out toys, books, clothing, furniture and other merchandise aimed at girls ages 3 to 8. This has already generated $3 billion in global retail sales.








Em 1999, numa manobra de marketing astuciosa, a Disney reuniu as suas oito princesas (Branca de Neve, Cinderela, Bela Adormecida, A Pequena Sereia, Bela, Jasmine, Mulan e Pocahontas) sob a marca registada Princesas Disney, e que já gerou receitas na ordem dos 3 biliões de dólares. Quem tem filhas pequenas de certeza que já comprou 1 brinquedo, ganchinhos, lápis, estojo, caderno, camisola, edredon, os filmes, os livros, as toalhas de praia, até peças de mobiliário... a lista é interminável.

Agora, está uma nova princesa a ser criada para se juntar às já existentes. Pois é, a Walt Disney Co. está a preparar um novo filme de animação que define como um conto de fadas americano. Trata-se de um musical de seu nome The Princess and the Frog: a banda sonora está a cargo de Randy Newman, que já conta com 17 nomeações para os Óscares.


A grande novidade é que esta é a primeira heroína negra da Disney (ou Afro-Americana, como os americanos tão politicamente correctos gostam de chamar). Chama-se Tiana, tem cerca de 19 anos e é dona de uma personalidade forte e voluntariosa. A acção decorre em Nova Orleães, por volta de 1920, em pleno apogeu da cultura Jazz. A sua fada madrinha é uma sacerdotisa voodoo, Mama Odie.








Nova Orleães foi o local escolhido de forma propositada: o director executivo da Disney, Robert Iger afirma que a história desta princesa negra se situará nesta cidade americana num gesto de solidariedade depois da tragédia sofrida pela devastação do Furacão Katrina .


Este filme, que marca o retorno dos Estúdios Disney à animação tradicional (2 D), depois de Home on the Range em 2004, estará em exibição nas salas de cinema a 18 de Dezembro de 2009.

Os realizadores do filme são John Musker e Ron Clements, os mesmos de Ariel, a Pequena Sereia, Aladino e Hércules. Além da realização têm também a seu cargo o argumento e a luta em grandes polémicas que já começaram a surgir: as vozes da controvérsia já começaram a insurgir-se contra todos os sinais de preconceito racial e esteriótipos esclavagistas passíveis de serem associados ao primeiro filme com uma protagonista “afro-americana”. As vozes da reacção obrigaram mesmo a algumas manobras defensivas por parte da Disney.

Quando o argumento foi apresentado aos meios de comunicação social, descreveram a protagonista como uma jovem negra, de classe baixa, criada de quarto de profissão e de nome “Maddy”. Realmente os factos apresentados não mostram grande relação com um título real: de camareira a princesa ainda vai um longo caminho! (Ah, acho que tanto Jennifer Lopez como Julia Roberts (Pretty Woman) já entraram em argumentos em que passaram de uma condição para a outra em velocidade torpedo!)

Reflectindo seriamente, mas não muito, sobre a questão, nem Mulan nem Pocahontas, dignas representantes da marca “Princesas Disney”, pertencem à realeza mas partilham de forma descomplexada e generosa o título monárquico com as outras heroínas, reais princesas por filiação ou casamento.


A deitar mais achas para a fogueira, parece que o nome “Maddy” apresentava para alguns conotações negativas, associadas às classes negras desfavorecidas norte-americanas.

Perante as pressões da opinião pública (ou publicada), a Disney viu-se obrigada a dar a volta à questão. De uma assentada mudou o nome do filme de The Frog Princess para The Princess and the Frog, e a protagonista deixou de ter nome de sopeira para ser referenciada por algo mais exótico, Tiana.

Aguardemos pois pelo Natal de 2009, na certeza de que um novo rosto e novos produtos de merchandising Disney irão atacar o nosso orçamento familiar. Pelo menos, que o filme prime pela qualidade da animação e da música e por mensagens isentas de preconceitos.

4 comentários:

Bosco disse...

Adorei seu blog e quero te ajudar a divulga-lo gratuitamente em meu site.
A visitação de seu blog vai aumentar muito!
Entre em contato o mais rápido possível que eu ajudo você.

blog.site@hotmail.com

vans disse...

que engraçado...gostei muito do teu blog, encontreio por acaso mas ja sou uma visita regular.

relativamente a este post achei o maximo uma princesa negra...pena que o filme so chegue em 2009!

diverte-te

vans

Maria Luisa disse...

Sinceramente estou curiosissima para conhecer essa nova princesinha !
Adoreeei o seu blog, mt fofo, informativo e as ilustrações contagiantes, parabéns!!! Vou linká-la no meu blog tá?
Um beijo!!!
Visite: reinacoesdeluisa.weblogger.com.br

Ana Tarouca disse...

Bosco, Vans e Luisa, agradeço muito os vossos comentários e desejo a todos um grande 2008, que consigam concretizar os vossos sonhos. Felicidades a todos
Beijos
Ana

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin