sábado, 28 de julho de 2007

Quero pintar com quantas cores o vento tem












A Pocahontas é, sem dúvida, a mais bela e sensual heroína criada pelas animações da Disney. Além disso, já não foi criada naquela malfadada fase em que a Disney punha uma vassoura na mão de todas as suas princesas: Branca de Neve, Cinderela, Bela Adormecida, todas elas veiculavam o modelo feminino tradicional vigente em que o talento nas lídes caseiras demonstravam como a menina era prendada e casadoira. Pocahontas é uma livre pensadora, sem preconceitos, com personalidade vincada, princípios e valores e capacidade de liderança.







Em termos de animação (muito, muito boa) e de banda sonora, nota-se também um trabalho distinto em relação aos restantes filmes de Princesas Disney. Quem tem filhas pequenas de certeza que os sabe de cor!



Canta a que será talvez a canção mais bonita num filme de animação, cantada muito bem na versão portuguesa por Susana Félix, com uma letra que valoriza a natureza e deprecia o preconceito racial e civilizacional.
Linda a animação, a música e a mensagem!



Pocahontas - Quantas Cores o Vento Tem!!!

Tu achas que sou uma selvagem
E conheces o mundo
Mas eu não posso crer
Não posso acreditar

Que selvagem possa ser
Se tu é que não vês em teu redor
Teu redor
Tu pensas que esta terra te pertence

Que o mundo é um ser morto,
Mas vais ver
Que cada pedra, planta ou criatura
Está viva e tem alma é um ser

Tu dás valor apenas às pessoas
Que acham como tu sem se opor
Mas segue as pegadas de um estranho
E terás mil surpresas de esplendor

Já ouviste um lobo uivando no luar azul
Ou porque ri um lince com desdém
Sabes vir cantar com as cores da montanha
E pintar com quantas cores o vento tem
E pintar com quantas cores o vento tem

Vem descobrir os trilhos da floresta
Provar a doce amora e o seu sabor
Rolar no meio de tanta riqueza
E não querer indagar o seu valor

Sou a irmã do rio e do vento
A garça a lontra são iguais a mim
Vivemos tão ligados uns aos outros
Neste arco, neste círculo sem fim
Que altura a árvore tem
Se a derrubares não sabe ninguém

Nunca ouvirás o lobo sob a lua azul
O que é que importa
A cor da pele de alguém
Temos que cantar com as vozes da montanha
E pintar com quantas cores o vento tem
Mas tu só vais conseguir
Esta terra possuir
Se a pintares com
Quantas cores o vento tem



Sem comentários:

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin